Uma poltrona cor de rosa era o meu lugar favorito de leitura, quando adolescente.
Neste blog, minha nova poltrona cro de rosa, quero registrar textos que me tocaram, em dferentes fases da vida.

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Meus 70 anos - J C Bridon


A lentidão

Dos meus pés

Me leva devagarzinho

Ao lugar aonde pretendo chegar.

 

Agora, nos meus 70 anos,

Busco trilhar os caminhos

Com dignidade e perseverança

Para não tropeçar nos erros passados.

 

Por isso a lentidão dos meus pés

E lerdeza da minha mente

Mas a fé em um Deus Amantíssimo

Que me ama e um dia irá querer-me junto a Ele.

 

Por isso caminho devagar,

Penso lentamente,

Não me preocupo com o futuro

Pois somente a Deus pertence.

 

JC BRIDON  -  

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Psicopatia Iluminada - Paulo César Coelho




PSICOPATIA ILUMINADA
               A Mario Quintana


Dizem que sou louco...
Psicopata da ilusão
Dizem que alicio, seduzo
Produzo sentimentos em vão...

Dizem que sou louco...
Louco... É quem sente pouco
Quem tem cicatriz nenhuma
Coração fechado alma de graúna
É quem disfarça entre riso e outro
A mágoa do próprio desgosto
Do não sentir por vez alguma
O florir de uma paixão.

Dizem que sou louco...
Psicopata da ilusão! Psicopata
É quem sente nada. Nada afeta!

Nenhuma lágrima floresce 
Nenhum sentimento cresce 
Diante a magia de um poeta.


 

 Paulo César Coelho

 Escritor-Poeta-Letrista

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Madeleine - Marlene A Torrigo



MADELEINE

e a doença que martirizou sua família

 

A Hanseníase é doença que ainda hoje provoca preconceito. Imagine então no tempo em que ainda se chamava Lepra e em que o tratamento não era tão eficaz quanto em nossos dias. (O termo hanseníase só passou a vigorar a partir de 1995.)

O estigma da doença vem da Bíblia. Quem nunca leu, nos textos sagrados, sobre o vale para onde eram mandados os leprosos, e como a doença era encarada como castigo divino? Não era muito diferente no fim do século XIX e boa parte do século XX. Os pacientes eram compulsoriamente trancados em sanatórios, afastados da família que, aliás, muitas vezes era a primeira a quere “isolar” o doente.

A autora, Marlene A. Torrigo, por trabalhar na área da saúde, sabe do que fala. E, baseada em fatos reais, construiu uma excelente e comovedora narrativa, sobre o drama de uma família, até então feliz, e que se viu destruída pelo surgimento da moléstia em três de seus cinco membros. O sofrimento dos dois não atingidos, duas crianças que têm que fugir e lutar pela própria sobrevivência, é comovedor. E quem, como eu, teve ocasião de trabalhar com pacientes hansenianos, de estagiar em sanatórios, sabe que cada palavra é verdadeira, assim como toda a dor, o sofrimento, a injustiça que tais pessoas enfrentaram.

Recomendo a todos a leitura deste livro. É uma experiência única e uma excelente oportunidade de aprendizado, pois, de quebra, a autora nos dá ao fim do livro, esclarecimentos sobre a moléstia e seu tratamento.

Parabenizo Marlene A. Torrigo por tão bela e corajosa obra.

 

 

Madeleine e a doença que martirizou sua família, Marlene A Torrigo, Ed. Livre Expressão, Rio de Janeiro.

 

Contatos com a autora: marlene.torrigo@yahoo.com.br

domingo, 2 de fevereiro de 2014

Parque de Diversão - Roberto César Ferreira


 

Todos aqueles que conseguiram conservar dentro de si a criança, gostam de parques de diversão. Estes, com certeza, gostarão de ler o livro Parque de Diversão, de Roberto César Ferreira. O livro é muito bem escrito, e bem ilustrado, com muitas fotos de diferentes parques.

O autor é um apaixonado por Parques de Diversão e, sobretudo, por montanha-russa. E ele nos leva por um passeio por vários parques pelo Brasil e pelo mundo.

No livro, em destaque, a história do Playcenter, ícone da capital paulista, e que, infelizmente, encerrou suas atividades em 29 de julho de 2012. Com Roberto, resgatamos um pouco da nossa infância e matamos a curiosidade de conhecer, “por dentro”, um parque de diversões, porque ele foi estagiário do Playcenter.

Ao tom coloquial, de quem narra suas aventuras, associam-se as informações técnicas, dando-nos uma visão por assim dizer interna, íntima, deste tipo de entretenimento, visão esta que a maioria de nós jamais teve.

Para mim, esta leitura foi uma agradável viagem ao mundo dos parques de diversão. Recomendo o livro.

 
 

Parque de Diversão – Roberto César Ferreira – Editora Schoba, Salto, SP, 2013.

 

Para adquirir o livro, entre em contato com o autor, pelo email: roberto.cbmr@gmail.com