Uma poltrona cor de rosa era o meu lugar favorito de leitura, quando adolescente.
Neste blog, minha nova poltrona cro de rosa, quero registrar textos que me tocaram, em dferentes fases da vida.

quarta-feira, 30 de abril de 2014

Poemas de Stella de Sanctis






Por trás das palavras

 

Onde moinhos tecem ventos

Um verbo esquadra verdades

Veladas à luz da luz.

 

Sob a perspectiva das estrelas

A divinizada centelha

Lavra um jardim andaluz.

 

Na chuva que alaga a trilha,

Faz do silêncio a milha,

Por trás da palavra o tombadilho.

 

Tece a malha d’um tempo congelado,

Borda segredos no avesso,

Lateja o princípio apaixonado,

 

Ofuscado nos olhos de dilúvio.

(do livro Ecos do Sempre) 
 


 

 


Intervalos

 


Certas palavras têm seu intervalo,

Seu silêncio... Revestem-se de hipérboles,

Abraçam os ares como ondas seculares

E depois voltam para o mar imenso,

Em nós, raízes revisitadas

Dos sentires e sentidos...

Até caírem sobre nossas mãos,

Pesadas de tudo.

 

(Do livro Jogo de Extremos)